"Quem caminha em direção a si mesmo corre o risco do encontro consigo mesmo. O espelho não lisonjeia, mostrando fielmente o que quer que nele se olhe; ou seja, aquela face que nunca mostramos ao mundo, porque a encobrimos com a persona, a máscara do ator. Mas o espelho está por detrás da máscara e mostra a face verdadeira." (Carl Gustav Jung)

quarta-feira, 30 de março de 2016

Orquestração poética

O encantamento
encantado
do cantor
encanta
e é encantador.

O sopro
da soprano
sopra
e assopra
soprando.

O agudo
da agudeza
agudamente
agonia.

O grave
gravemente
engravida
uma gravura
gravíssima.

O baixo
abaixado
baixando
baixamente
a baixeza.

O tenor
Tenório
é tenazmente
tenorino.

A sinfonia
sinfônica
insufla
sinfonicamente
o público.

A orquestra
é orquestrada
em orquestração
orquestrante.

E o maestro
com maestria
rege
o caos musical
poeticamente cacofônico
regendo.

Nenhum comentário: