"Quem caminha em direção a si mesmo corre o risco do encontro consigo mesmo. O espelho não lisonjeia, mostrando fielmente o que quer que nele se olhe; ou seja, aquela face que nunca mostramos ao mundo, porque a encobrimos com a persona, a máscara do ator. Mas o espelho está por detrás da máscara e mostra a face verdadeira." (Carl Gustav Jung)

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Poesia

Gostaria de alimentar-me de poesia,
como se comida fosse.
Gostaria de expressar-me unicamente por poesia,
andando pelo mundo como um menestrel insone.
Gostaria de pensar em forma de poesia,
como se minhas idéias e reflexões se tornassem inspiração a subir um monte.
Gostaria que o mundo fosse como uma poesia em cânticos, em odes, em lirismos,
que os homens e as mulheres não possuíssem maldade em seus corações estreitos.

Não tenho minha utopia poética,
mas tenho seu sorriso
e isso me basta como sonhador que sou.

2 comentários:

Edu Durães disse...

Meu caro Jefferson, você bebe a poesia da vida. Percebo, através de seus versos, que, ao exorcizar-se, o que se desvela, na verdade, é um sujeito sensível, talentoso para as letras - (habitas entre as palavras?)e a caminho para o tempo da delicadeza. Parabéns, sorvi bem cada gole do seu exorcismo poético.
Abraços.
Do seu amigo Edu Durães

Jefferson Assunção disse...

Obrigado amigo Edu! Há quanto tempo não recebia um comentário por aqui. Forte abraço! :)