"Quem caminha em direção a si mesmo corre o risco do encontro consigo mesmo. O espelho não lisonjeia, mostrando fielmente o que quer que nele se olhe; ou seja, aquela face que nunca mostramos ao mundo, porque a encobrimos com a persona, a máscara do ator. Mas o espelho está por detrás da máscara e mostra a face verdadeira." (Carl Gustav Jung)

terça-feira, 10 de junho de 2014

Sete faces

Vejo pedintes maltratados por seguranças de shopping,
chorando lágrimas de sangue,
ao som de passos desatentos e alienados.

Os mendigos a reaciorevolução não ouve.
Os jovens sofrem de surdez ou cegueira
e os velhos vivem na cidade-estado de Nostalgia.

Alguns velhos vivem em corpos de jovens
e alguns jovens em corpos de velhos.

Mundo, mundo, vasto mundo,
se o mendigo pudesse comprar presunto,
a vida seria uma rima e não uma inver(n)s(ç)ão.

O cinema me mostra o realismo,
mas não o real.
Na realidade, na vida não há nada igual.

"E o que é o real?",
indagam minhas retinas deveras fatigadas.
Minha consciência responde que
a vida se trata de nada mais do que
um caminho gaucheano de pedras no caminho
esculpidas por um anjo torto,
desses que vivem na sombra.

Eu sei, eu não devia te dizer,
mas a beleza não está naquilo que se vê simplesmente,
mas no que se vê com a mente.

Nenhum comentário: