"Quem caminha em direção a si mesmo corre o risco do encontro consigo mesmo. O espelho não lisonjeia, mostrando fielmente o que quer que nele se olhe; ou seja, aquela face que nunca mostramos ao mundo, porque a encobrimos com a persona, a máscara do ator. Mas o espelho está por detrás da máscara e mostra a face verdadeira." (Carl Gustav Jung)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Poema da vida (ou O velho)


Hoje eu acordei cedo
                           [cego
porém não surdo

Abracei-te em meio à escuridão

Regredi a uma época
onde não imaginava presente
passado ou futuro

Encontrava-me invisível
tal como o sou hoje
porém existia de fato

Nessas reminiscências
descobri que sempre fui um marginal marginalizado

Ninguém enxergava-me
porém nunca esforcei-me para tanto

O ser humano não vê por si mesmo
pois é um cego destituído de grande visão

Os oráculos nos abandonaram
deixando o mundo entregue à mediocridade

Retorno do transe chorando em teus braços

Tu me consolas
e diz palavras de amor
porém só as vejo em teus lábios
pois agora não encontro-me mais cego
e sim surdo.

Nenhum comentário: