"Quem caminha em direção a si mesmo corre o risco do encontro consigo mesmo. O espelho não lisonjeia, mostrando fielmente o que quer que nele se olhe; ou seja, aquela face que nunca mostramos ao mundo, porque a encobrimos com a persona, a máscara do ator. Mas o espelho está por detrás da máscara e mostra a face verdadeira." (Carl Gustav Jung)

domingo, 22 de abril de 2012

O deserto da alma



Houve uma época onde os seres eram intolerantes,
em que você era por demais maçante
e eu um mero inseto tratante.

Nossas vidas eram mais calmas,
as expectativas não tão altas,
e o sistema não devorava tantas almas.

Hoje me sinto sem rumo.
Vivo em um caminho profundo,
em uma estrada onde o fim parece distante e moribundo.

Amigo, onde está você quando mais preciso?
Provavelmente ocupado em algo mais importante,
e eu aqui nesse deserto degradante,
à margem daquilo que se considera um risco.

Enquanto você pensa em ter,
eu fico por aqui buscando o que ser.
Não quero dinheiro,
nem ser um messias do vazio mundo em desespero.
Não me importa o respeito.
Sigo na linha do presente,
com o futuro mais parecendo o passado imperfeito.

Permaneço em meu canto sem me preocupar,
não quero a nenhum lugar chegar.
À espera da morte vou continuar,
e de você apenas me afastar.

Nenhum comentário: