"Quem caminha em direção a si mesmo corre o risco do encontro consigo mesmo. O espelho não lisonjeia, mostrando fielmente o que quer que nele se olhe; ou seja, aquela face que nunca mostramos ao mundo, porque a encobrimos com a persona, a máscara do ator. Mas o espelho está por detrás da máscara e mostra a face verdadeira." (Carl Gustav Jung)

terça-feira, 24 de abril de 2012

Boa noite, tristeza e bom dia, solidão


Enquanto ouço Like a rolling stone,
escrevo esses versos inúteis.
Minhas palavras parecem puramente fúteis.

Às vezes parece que é melhor ser sozinho em meio à multidão
do que ter amigos na solidão.

Sou um herói em meio à monstruosidade,
ou um monstro perseguindo a heroicidade?
Certa vilania de minha alma não me torna um mero estranho,
apenas me transforma em um ser humano.

Ser, ter, parecer.
O que é melhor?
Ser ou parecer humano?
Questionar ou aceitar o momentâneo?

Nenhum comentário: