"Quem caminha em direção a si mesmo corre o risco do encontro consigo mesmo. O espelho não lisonjeia, mostrando fielmente o que quer que nele se olhe; ou seja, aquela face que nunca mostramos ao mundo, porque a encobrimos com a persona, a máscara do ator. Mas o espelho está por detrás da máscara e mostra a face verdadeira." (Carl Gustav Jung)

sábado, 19 de dezembro de 2009

As ruas da pós-modernidade

A pós-modernidade
Arrancou-me a amabilidade
E levou-me à calamidade
De uma existência
Casmurra de ambiguidade

O perdão faz-me rir
E a alma minha pecadora
Jaz mortificada
No inferno mundano da confinidade

As calamitosas ruas do mundo
Encontram-se enraizadas
Por todo tipo de hecatombidade

Tu não queres minha amizade
Apenas minha complacência

Para teus atos de desumanidade.

Nenhum comentário: